ABC do meu bebê

O primeiro aninho do nosso filho é algo muito importante para os pais e familiares. Momento de festejar um ano de muito desenvolvimento, saúde, alegrias… Enfim, momento de comemorar!!

Mas, como preparar uma festa de acordo com os desejos das mamães, mas sem estourar o orçamento? Neste post darei dicas para as mamães que assim como eu, estão se organizando para preparar a tão esperada festinha de um aninho de seus filhotes. Vamos lá?

Salão ou Casa de Festas

Se você for optar por um salão cou casa de festas que já incluem em seus pacotes, buffet, animação, brinquedos e decoração só terá o trabalho de pesquisar os lugares que oferecem tais serviços e escolher aquele que mais lhe agrada.

Vantagens: Você entra e sai como convidada;  Parcelamento até a data da festa;

Desvantagens: Por vezes o preço é bem salgado; Não tem o toque pessoal da mamãe ou dos familiares; Pagamento extra por itens que não fazem parte do pacote; Pagamento extra para cada pessoa que não estiver inclusa no número de pessoas informado.

Festa em Casa ou no Play

Fazer a festinha em casa pode ser mais trabalhoso, porém mais econômico. Algumas pessoas optam por esse espaço, pela praticidade e proximidade.

Vantagens: Você pode deixar a festa com a sua cara; O número de convidados pode ser maior do que em uma casa de festas; Não tem horário para terminar; Os gastos podem ser menores se você contar com a ajuda dos familiares no preparo de enfeites e guloseimas; Você pode colocar seus dotes artísticos e/ou culinários em prática.

Desvantagens: Você terá que limpar o espaço antes e depois da festa; Você tem que correr atrás de tudo e se não tiver tempo, pode se enrolar; Não pode dar muita atenção aos convidados pois tem que ficar verificando se tudo está de acordo; Dependendo do espaço onde  festa irá acontecer, o tempo pode estragar a programação.

Nós aqui em casa optamos por fazer no play do prédio, devido ao ambiente mais intimista e também pelo financeiro, pois em casa vamos fazendo tudo aos poucos e contando com a colaboração dos familiares com habilidades e dons artísticos para o preparo de enfeites. Além disso também adoro planejar a festinha e colocar em prática meus dotes culinários em prática.

Além disso considero que no primeiro ano a criança quase não aproveita tudo o que um salão tem para oferecer, por vezes o bebê até dorme ou fica “chatinho” devido ao barulho, luzes e muitas pessoas, então deixo para fazer em um salão com muitos brinquedos e outros atrativos, quando meu filhote estiver maior e puder, de verdade, aproveitar.

Optamos também porque ainda estou de licença maternidade e isso me dá um pouco mais de tempo em casa, no entanto não sei se no próximo ano, já trabalhando, conseguirei ter todo esse tempo para pensar, planejar e preparar a festa em casa.

E você? Prefere em casa ou no salão? Deixe seu comentário!

A maior preocupação em uma festa é sem dúvida a quantidade de comida que será servida, pois nada pior do que faltar algo ou sobrar muitos itens. Para ajudar as mamães, selecionei algumas dicas para ajudar a planejar as quantidades. Vamos lá!

Se a festa ocorrer no horário do almoço ou jantar, devem estar previstas 2 situações:

a) Oferecer uma refeição e também salgados durante o resto da festa;
b) Oferecer salgados variados em quantidades maiores que o normal;

Se a festa ocorrer à tarde:
a) Oferecer salgados variados.

Quantidades para cada ocasião:

Se a festa acontecer durante a semana, provavelmente o número de adultos será menor. Já no final de semana, deverão comparecer um maior número de adultos.

Festa à tarde:

CRIANÇAS:
       5 salgados
2 doces
4 copos pequenos de refrigerante

ADULTOS:
6 salgados
3 doces
5 copos pequenos de refrigerante

Festa em horário de refeição:

CRIANÇAS:
1 prato de massa ou outro
3 salgados
2 doces
4 copos pequenos de refrigerante

ADULTOS:
1,5 pratos de massa ou outro
4 salgados
3 doces
5 copos pequenos de refrigerante

Quantidade de opções de salgados: 4 a 6
Quantidade de opções de doces: 3 a 4
Quantidade de opções de bebidas: 3 (2 refrigerantes e água)

No dia 26/12/2011, Antônio completou 8 meses de vida!!

Que maravilha, um dia após o Natal!! Comemoramos na casa da vovó com direito à bolinho e tudo mais! Nosso baby está com 71 cm, 8.900kg e muito arteiro! As primeiras birras já começaram e quando não fazemos o que ele quer, começa a gritar e chorar. Por vezes também faz força se jogando para trás.

Adotamos então por brigar e não realizar todos os desejos prá ver se assim ele pára!! Vamos ver se dá certo…

Na alimentação, papinhas salgadas, doces e suquinhos já fazem parte da sua rotina, além do pão francês para coçar a gengiva..rs!

Bom, por hoje é só!

 

 

 

 

 

Olá pessoal!

Acredito que uma das coisas mais difíceis para a mamãe ao chegar em casa, é dar o banho no bebê. Primeiro pela falta de experiência, pelas dores (se tiver feito cesárea), pelo bebê ser molinho e a mamãe ter medo que ele escape da mão, e por muitos outros fatores. Comigo também não foi diferente, tive medo de água no ouvidinho, da temperatura da água… Mas depois de algumas dicas, tudo foi vencido.

Compartilho com vocês essas dicas preciosas:

– Tenha todos os produtos separados e próximos do local onde você dará o banho. (Não deixe o bebê sozinho para pegar algo!!)

– Antes do banho desinfete a banheira com alcool 70º.

– Você pode medir a temperatura com um termômetro próprio para banheiras ou com as mãos, sempre mais para fria…

– Certifique-se do espaço estar sem correntes de vento, portanto, janelas fechadas!

– O melhor lugar para a banheira é que a mesma fique na altura da cintura da mamãe, caso você não tenha aquelas com pé, utilize uma mesa ou uma pia com bancada. (Aqui em casa era na mesa mesmo..rs)

– Não tente fazer outras coisas ao mesmo tempo, como fechar a porta, atender o telefone, procurar itens do banho…

– Enquanto estiver tirando a roupa do bebê, converse com ele. Aproveite esse momento.

– Não fique nervosa se o seu bebê chorar, isso é normal, porque eles se sentem desprotegidos. Uma fraldinha sobre o peito pode confortá-lo e ajudá-la, caso você esteja com medo que ele escorregue.

– Comece lavando o rostinho e a cabeça, depois peitinho, pernas e por fim a genital. Não precisa usar muuuito sabonete, até porque a pele do bebê é super delicada e isso pode causar alergia.

– Use sabonete neutro nesse primeiro momento. Eu usei o líquido da granado, uma delícia, dura muito e não deu alergia

Olha aí, eu no meu primeiro banho em casa!

Atualmete tem sido bem difícil dar banho no Antônio usando a banheira, pois ele se mexe muito e quer brincar. Portanto, tenho feito o banho no chuveiro mesmo e peço para alguém secá-lo. O ruim é quando não tem ninguém em casa.

Até a próxima!

 

 

É isso mesmo pessoal!! Nosso blog foi selecionado para ser um blogueiro responsável da Casa Ronald McDonald, do Rio de Janeiro. Isso é uma honra e também uma responsabilidade!

Para quem não conhece a casa Ronald McDonald é um Instituto fundado em 08 de abril de 1999, com o intuito de promover a saúde e a qualidade de vida de crianças e adolescentes com cancêr. Para o desenvolvimento de seus Programas – Casas Ronald McDonald, Diagnóstico Precoce e Atenção Integral, o Instituto conta com o apoio da comunidade científica e de voluntários sociais.
Gostou? Para saber mais informações e como contribuir para essa causa tão nobre é só acessar: http://www.instituto-ronald.org.br.

Quando nossos bebês começam a se aventurar no mundo gastronômico surgem várias dúvidas nas mamães. Na maior parte das vezes os pediatras só liberam frutinhas e legumes após o 6º mês, mas eis que surgem outras perguntas. Posso dar geléia de mocotó? Danoninho? Gelatina? Biscoito? Pão? Enfim, muitas são as dúvidas e eu, assim como vocês também me questionei sobre isso.

Começo dizendo que é muito importante pensar em alimentar nossos bebês com alimentos saudáveis e da forma mais natural possível, desse modo evite trocar frutas, verduras e legumes por alimentos industrializados, visto que o sabor desses alimentos é mais forte, fazendo com que a sensibilidade do paladar fique menos apurada. Além disso os alimentos industrializados contém conservantes, acidulantes, açúcar…. Se for possível adiar a entrada de tais produtos melhor, do contrário, faça uso com moderação.

Vamos então tirar algumas dúvidas?

Geleia de Mocotó:  é extraída do tutano do osso bovino. É um alimento rico em carboidratos, o que oferece bastante energia as crianças, e também é rico em açúcar, vitaminas do complexo B, e vitaminas A e C.

Apesar de ter vitaminas e ação antioxidante não é bom dar sempre ao bebê, pois contém corante, conservante e açúcar, além do mais um potinho contém muitas calorias, portanto é bom evitá-lo caso seu baby esteja muito acima do peso.

Danoninho e similares: A marca, dona do produto indica o uso do produto após 01 ano de idade. Preciso dizer mais?

Prefira iogurte natural com frutinhas batidas, é mais saudável.

Gelatina: É retirada das cartilagens e dos ligamentos das juntas ósseas do boi. Essas partes são fervidas para que o colágeno (proteína formada por diversos tipos de aminoácidos) se solte e misture-se com água para resultar em um composto chamado mocotó. A mistura é desidratada, purificada e transformada em pó e é acrescentado açúcar e sabores.

Ela é fonte de proteína e não tem colesterol, mas nem por isso é para ser consumida de forma exagerada. É uma sobremesa que não tem alto valor calórico, mas contém açúcar, corantes e aromatizantes em sua composição, que fazem engordar e podem causar alergia. Portanto, modere no consumo.
Atenção: A gelatina é recomendada apenas para crianças maiores de um ano por conter proteínas que são alergênicas, corantes e aromatizantes artificiais.

Ovos: (Texto retirado do blog alimentosaudeinfantil.wordpress). Decidi por transcrevê-lo aqui por concordar com todo o escrito.

Os ovos fazem parte da lista de alimentos potencialmente alergênicos para bebês, assim como o leite de vaca, a soja, amendoim e nozes. De um lado, nutricionistas (e vários pediatras),  recomendam a oferta cautelosa do ovo apenas após  o bebê completar 1 ano de idade.

A razão para isso é que o perigo do ovo mora na clara, onde está a albumina. Ela não é a única proteína do ovo (que possui outras 3), mas é a maior responsável por reações alérgicas como:  Rinite, asma, dermatite atópica e eczemas, náusea, vômitos, chiado no peito, anafilaxia (reação alérgica aguda) etc. Para o bebê que iniciou a alimentação complementar (após 6 meses), deve-se começar oferecendo apenas a gema.

(Cozinhe em água, dê 1/4 da gema, depois 1/2, e aumente até chegar na gema inteira. A clara, deixe de lado, por enquanto.)

 

Bom, não custa repetir que os bebês só devem ingerir alimentos industrializados após 01 ano, devido ao risco  de alergias e infecções. Porém, alguns pediatras e nutricionistas  liberam seu uso, com moderação, antes dessa idade. É importante que a inserção desses alimentos seja feita de forma gradual, começando com poucas quantidades e aumentando gradualmente de acordo com as reações apresentadas pelos filhotes.