ABC do meu bebê

Archive for the ‘Alimentação Infantil’ Category

Quando nossos bebês começam a se aventurar no mundo gastronômico surgem várias dúvidas nas mamães. Na maior parte das vezes os pediatras só liberam frutinhas e legumes após o 6º mês, mas eis que surgem outras perguntas. Posso dar geléia de mocotó? Danoninho? Gelatina? Biscoito? Pão? Enfim, muitas são as dúvidas e eu, assim como vocês também me questionei sobre isso.

Começo dizendo que é muito importante pensar em alimentar nossos bebês com alimentos saudáveis e da forma mais natural possível, desse modo evite trocar frutas, verduras e legumes por alimentos industrializados, visto que o sabor desses alimentos é mais forte, fazendo com que a sensibilidade do paladar fique menos apurada. Além disso os alimentos industrializados contém conservantes, acidulantes, açúcar…. Se for possível adiar a entrada de tais produtos melhor, do contrário, faça uso com moderação.

Vamos então tirar algumas dúvidas?

Geleia de Mocotó:  é extraída do tutano do osso bovino. É um alimento rico em carboidratos, o que oferece bastante energia as crianças, e também é rico em açúcar, vitaminas do complexo B, e vitaminas A e C.

Apesar de ter vitaminas e ação antioxidante não é bom dar sempre ao bebê, pois contém corante, conservante e açúcar, além do mais um potinho contém muitas calorias, portanto é bom evitá-lo caso seu baby esteja muito acima do peso.

Danoninho e similares: A marca, dona do produto indica o uso do produto após 01 ano de idade. Preciso dizer mais?

Prefira iogurte natural com frutinhas batidas, é mais saudável.

Gelatina: É retirada das cartilagens e dos ligamentos das juntas ósseas do boi. Essas partes são fervidas para que o colágeno (proteína formada por diversos tipos de aminoácidos) se solte e misture-se com água para resultar em um composto chamado mocotó. A mistura é desidratada, purificada e transformada em pó e é acrescentado açúcar e sabores.

Ela é fonte de proteína e não tem colesterol, mas nem por isso é para ser consumida de forma exagerada. É uma sobremesa que não tem alto valor calórico, mas contém açúcar, corantes e aromatizantes em sua composição, que fazem engordar e podem causar alergia. Portanto, modere no consumo.
Atenção: A gelatina é recomendada apenas para crianças maiores de um ano por conter proteínas que são alergênicas, corantes e aromatizantes artificiais.

Ovos: (Texto retirado do blog alimentosaudeinfantil.wordpress). Decidi por transcrevê-lo aqui por concordar com todo o escrito.

Os ovos fazem parte da lista de alimentos potencialmente alergênicos para bebês, assim como o leite de vaca, a soja, amendoim e nozes. De um lado, nutricionistas (e vários pediatras),  recomendam a oferta cautelosa do ovo apenas após  o bebê completar 1 ano de idade.

A razão para isso é que o perigo do ovo mora na clara, onde está a albumina. Ela não é a única proteína do ovo (que possui outras 3), mas é a maior responsável por reações alérgicas como:  Rinite, asma, dermatite atópica e eczemas, náusea, vômitos, chiado no peito, anafilaxia (reação alérgica aguda) etc. Para o bebê que iniciou a alimentação complementar (após 6 meses), deve-se começar oferecendo apenas a gema.

(Cozinhe em água, dê 1/4 da gema, depois 1/2, e aumente até chegar na gema inteira. A clara, deixe de lado, por enquanto.)

 

Bom, não custa repetir que os bebês só devem ingerir alimentos industrializados após 01 ano, devido ao risco  de alergias e infecções. Porém, alguns pediatras e nutricionistas  liberam seu uso, com moderação, antes dessa idade. É importante que a inserção desses alimentos seja feita de forma gradual, começando com poucas quantidades e aumentando gradualmente de acordo com as reações apresentadas pelos filhotes.

Navegando pela net, encontrei essa tabela que orienta bem quanto a rotina alimentar dos bebês a partir do 6º mês. Achei super interessante pois dá uma visão mais clara de como estabelecer esse espaço.

Tenho me guiado por essa tabela com o Antônio e tem dado super certo. A única coisa que eu acho estranho é que sempre depois que ele toma os suquinhos ou  a papinha quer mamar. Não sei se estou dando pouco suco ou se ele é que é guloso mesmo. Será uma perguntinha para a pediatra na próxima consulta.

Bjão

Quando nossos bebês começam a experimentar novos alimentos, logo ouvimos de nossos amigos e familiares (principalmente os mais antigos), que é hora de parar de amamentar e inserir o leite de vaca, devido a praticidade e também por acharem que o leite materno acaba sendo pouco para o bebê.

Como mamãe de primeira viagem não saio por aí fazendo tudo o que me falam, do contrário teria inserido mingaus e similares já no segundo mês de vida do meu filhote. Gosto sempre de pesquisar um pouco e ouvir outras mamães, já que algumas coisas evoluíram bastante com o tempo, especialmente as pesquisas voltadas para a alimentação infantil.

Bom, segundo a Academia Americana de Pediatria (APA), não se deve inserir leite de caixinha, saquinho ou em pó (leia-se inclusive ninho) antes de 01 ano de idade. Os motivos são os seguintes:

  1. O bebê não possui capacidade gástrica para digerir a proteína do leite integral.
  2. A quantidade de proteína no leite de vaca pode prejudicar o funcionamento dos rins.
  3. Crianças alimentadas com leite de vaca integral apresentam baixa ingestão de nutrientes como   ácido linoléico,  zinco, ferro e vitaminas C e E.
  4. O Leite de vaca possui fatores imunológicos que não servem para os bebês humanos, funcionam apenas com os da mesma espécie.
  5. A fervura do leite integral destrói o ácido fólico presente no alimento

Não há problema, no entanto, mais próximo do final do primeiro ano, em usar leite de vaca como ingrediente de outros alimentos, como bolos, sopas ou pudins, desde que em pequena quantidade.

E você? Já deu leite de vaca para seu bebê? O que achou? Compartilhe sua experiência!

Depois dos suquinhos e das papinhas doces é hora de inserir as papas salgadas. Sempre na hora do almoço. Olha que legal, seu bebê além do leite materno, já toma sucos pela manhã, come papinha salgada no almoço e papinha doce no lanche! Quanto avanço!!

Para começar use apenas um legume por vez, para que seu bebê acostume e reconheça o sabor individual. Quando a aceitação estiver boa (e as vezes demora umas duas semanas), você já pode inserir  frango, carme, fígado e gema de ovo. Um de cada vez. Já na 4ªsemana pode inserir a papa salgada também no jantar.

A papa salgada deve ter pelo menos um alimento de cada grupo: carboidrato (arroz, macarrão, batata, mandioca, batata-salsa, cará, batata-doce), proteína (carne, fígado, frango, gema de ovo), legume e verdura.
Evite bater no liquidificador, para estimular a mastigação e não passe na peneira, para acostumá-lo  com as diferentes texturas.

ATENÇÃO: Até  um ano de vida, deve-se evitar oferecer ao bebê alimentos com grande potencial de causar alergia como peixes,frutos do mar, carne de porco, clara de ovo, kiwi, mel e laticínios.

Hoje vou compartilhar com vocês algumas receitinhas de papinhas doces, para variar o cardápio dos nossos pimpolhos, pois sei o quanto é difícil na correria pensar o que vai fazer para eles, além das atividades diárias como mãe, esposa, dona de casa etc, etc, etc…

1) Papinha de laranja com mamão

Ingredientes:
::  1 mamão tipo papaia
:: 1 (xícara de chá) de suco de laranja


Modo de Preparo:
Corte os mamões ao meio e retire as cascas e as sementes. Amasse os mamões com um garfo, até obter um purê. Misture o suco de laranja.

2) Papinha de Frutas

Ingredientes:

.¼ xícara (chá) de mamão-papaia picado

• ½ banana-nanica cortada em rodelas

• 1 pêra pequena sem casca cortada em cubos

• 1 maçã pequena sem casca cortada em cubos

• suco de 1/2 laranja

• 100 ml de água mineral

Modo de Preparo:

Coloque a água em uma panela  e deixe ferver. Acrescente os demais ingredientes  cozinhe em fogo baixo até que as frutas fiquem bem macias. Passe pela peneira e sirva morninha.

3)Papinha de Salada de Frutas

Ingredientes:

.9 colheres (sopa) rasa (50 g) de mucilon

• 1 fatia de mamão sem casca

• 1 fatia de maçã descascada

• 1 fatia de pêra descascada

• 100 ml de suco de laranja (cerca de 3 laranjas)

Modo de Preparo:

Esprema as laranjas  e coloque o suco no liquidificador. Junte a pêra, a maçã e bata até obter um suco homogêneo. Reserve. Em um prato fundo, amasse o mamão com um garfo, junte o suco de frutas e o Cereal. Mexa até ficar consistente. Sirva a seguir.

4) Compota de Frutas

Ingredientes:

125 ml de água

• 1 colher (chá) de açúcar (opcional!!)

• suco de 1 limão

• 1 colher (sopa) de uva passa

• 1 carambola fatiada

• 6 uvas cortadas ao meio e sem sementes

• ½ maçã

Modo de Preparo:

Lave, descasque e corte as frutas em pedacinhos. Misture o suco de limão para não oxidá-las. Em uma panela, coloque a água, o açúcar  e as frutas. Cozinhe  por cerca de 10 minutos ou até ficarem macias. Deixe esfriar e leve à geladeira.

Outras combinações que dão certo…

Abacate com banana nanica madura

Mamão com banana nanica madura

Maçã com banana

Maçã com manga

Kiwi com melão

Manga com laranja lima

Manga com banana

Passe na peneira ou amasse, peneire e misture.

Até!!

Já falamos sobre suquinhos, hoje vamos falar sobre papinhas doces…

Cerca de 10 a 15 dias depois de incluir o suco na vida do seu filho, já é hora de acrescentar um lanche no cardápio dele, antes da mamada da tarde. Aí, não tem segredo. Banana amassada, maçã raspada, mamão… O ideal é apresentar um alimento de cada vez e, só depois, misturá-los, pois dessa maneira ele aprende a diferenciar os sabores.

O que não se pode esquecer é o respeito à vontade e o apetite do baby, pois é muita novidade, não fique insistindo mais de três vezes se ele virar o rostinho, pois talvez não esteja com fome. Legal também é deixar que ele interaja com os alimentos, pois isso faz parte desse novo mundo de descobertas.

Olha o meu lindão comendo papinha de ameixa cozida!!

Bjão!

 

Falar de alimentação parece fácil, mas não é. Os pediatras são controversos quanto ao início da inserção de novos alimentos ao bebê, devido ao fato de algumas (ou a maioria) das mamães necessitarem retornar ao trabalho quando o filhote completa 6 meses, e outras tem de voltar antes desse período, o que acaba levando muitas vezes ao desmame precoce.

De acordo com o Ministério da Saúde o bebê deve ser amamentado exclusivamente com leite materno ou similar até o 6º mês de vida. Quando digo similar, falo dos leites artificiais que são próprios para esta fase e não leite de vaca, caixinha, cabra, soja….

Após o 6º mês é hora de inciar com suquinhos e frutinhas variadas, sem deixar de lado o leite materno!!  Abaixo, deixo algumas dicas sobre como começar essa nova fase.

– Comece pelas frutas!! 

 A laranja-lima costuma ter maior aceitação, devido ao gosto adocicado. Você também pode dar outras frutas cítricas como o limão e a acerola, mas nem todos (a maioria), não aceita bem, devido ao sabor. Vale também misturar cenoura ao suco de laranja. O Antônio não gosta de suco de laranja. E olha que eu já tentei diversas vezes, mas é sempre a mesma coisa, enrola, enrola, faz cara feia e não bebe nada!!

O melhor horário para oferecer sucos e frutinhas raspadas é pela manhã, até porque você pode observar se o baby terá alguma alergia ou reação diferente ao novo alimento, então se o bebê mama às 8h e às 11h, o suco entra lá pelas 9h. A bebida pode ser servida em uma colher, um copinho ou, em último caso, uma mamadeira. A quantidade é bem pequena – cerca de 20 ou 30 mililitros – e varia de pequeno para pequeno.

Antônio começou com 30ml de suco e hoje toma 60ml às vezes um pouco mais!! Tentei a mamadeira, mas não deu muito certo, nem as com bico de fluxo rápido, bico ortodôntico, bico simples…rs. Naaaada!! Então comecei com o copinho de transição, na verdade não é bem um copo de transição, porque seus furos são bem maiores, mas deu super certo.

Olha ele aí!

Depois, dei suquinho de pêra, melancia, melão, maçã…  O que ele mais gosta é o de melancia.

Atenção: não se preocupe se o bebê fizer cara feia ou recusar o líquido. Muitas vezes, a criança só vai aceitar o novo alimento depois da décima tentativa de apresentação. Assim, se ela não beber o suco hoje, tente novamente no dia seguinte. E vá variando o cardápio, para descobrir as de melhor aceitação.